quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Vai, cai.

a falta tua. algo como pele. algo como sexo. mas não mais. tenho optado pelos aviões que passam sobre a minha cabeça, seus pandemônios de madrugada, me tirando sono, que eu tenho chamado de paz. Porque o caminho da consciência é um caminho quase sempre de dor. E como quanto mais ciente eu fico, mais louco me ponho, prefiro dormir. Boa noite.